domingo, 2 de fevereiro de 2014

Eles não podem falar, mas nós falamos por eles.

Bem, bom, então...
(Por onde começar esse post? Penso eu... )

Vou começar do comecinho mesmo. 
O que sei sobre gatos? Qual a minha relação com esses animais? 
De desconfiada, por achar que eles eram animais "traiçoeiros", passei a nutrir uma certa simpatia por eles, quando uma gata de rua começou a "ir ficando" no estacionamento do prédio onde eu morava, em Caruaru. 
Essa gata, que passamos a chamar simplesmente de "Gata" teve filhotes, duas fêmeas. Uma dessas gatinhas foi resgatada por mainha, em meu nome (ela sempre dizia - e diz - Doris é sua). Eu não tinha condições de cuidar de Doris na época (acho que até hoje não tenho), então mainha ficou com ela em sua casa, em outra cidade.

Agora (dando o pulo do gato e resumindo a história pra vocês) estamos morando juntas de novo, mainha com 3 gatas (contando com "a minha" Doris) e eu embarcando nesse universo felino graças, claro, a mainha!

Então é extremamente importante e honesto que eu deixe claro que:

Mainha é quem estuda sobre esses bichanos, pesquisa sobre comportamento, cuidados e raças; a nossa segunda gata foi resgatada no campus da UFRPE também por ela (dessa vez, em nome do meu irmãozinho, e ele a chamou de "Chiquinha") e a terceira ela foi buscar em um lar para adoções. Dessa vez, ela não teve desculpas e essa adoção foi feita em seu nome mesmo, então, a nova integrante do grupo de felinos aqui dos Morais foi chamada de "Marie";
Por fim, devo dizer que é mainha quem compra a alimentação (ração, biscoitinhos e etc), leva à veterinária e também para vacinar, compra potinhos e brinquedinhos e vive pentear as meninas. 

Pra mim, restam as brincadeiras, o "agarrado" e claro, a costura das caminhas. (Eu não acho ruim não viu?!). Não sou do tipo que vê na rua e leva pra casa, que é ativo e participativo nesses movimentos de defesa a favor dos animais. Por outro lado, admiro as pessoas que o são, e acho justo enaltecer esse comportamento, esse estilo de vida. 

Pegando carona na onda de mainha, fui parar, nesse sábado, numa Manifestação contra a Matança que se sucedeu na Av. Beira Rio, no bairro da Torre, contra um verdadeira população de gatos que viviam ali. Certamente os gatinhos foram envenenados; 12 foram mortos e 16 desapareceram, segundo o Diário de Pernambuco. O Manifesto pedia a punição para esse comportamento criminoso.
E além de se manifestarem contra esse crime, as pessoas que se reuniram em prol dessa causa, também questionaram sobre o abandono dos gatos, por seus donos até então, naquela região. 
Por exemplo: Você tem uma gata, que por descuido seu (já que você é o ser "racional") fica "buchuda" e então, por não querer os filhotes, você os abandona por ali, porque sabe que naquele trecho existem mais gatos abandonados e tem algumas pessoas que os alimentam e buscam novos lares para eles. 

Essas pessoas, engajadas em cuidar de alguma forma desses bichinhos abandonados e providenciarem para que sejam adotados, estão ligados a um grupo chamado Gatinhos da Beira Rio
E ligados a esse grupo, muitos outros estavam presentes nesse Manifesto. São grupos que lutam nessa causa há mais tempo, independente desse genocídio que ocorreu na Av. Beira Rio:
 - Associação Protetora de Animais da Lagoa do Araça. (Marie foi adotada por mainha aqui!)
 - ONG SOS Dentinho

Vamos as fotos... 



Cartazes e faixas muito pertinentes...












Gatinhos sobreviventes esperando para serem adotados...



E claro, "A Moda" do Manifesto (da causa, e do estilo de vida dessas pessoas...)










E se é Manifesto, tem que ir pras ruas... 




Por fim, um agradecimento especial a nossa "colaboradora por 1 dia" aqui no GRD. Porque sem ela, esse post não seria possível: Mainha!!!


Até a próxima! E que a justiça seja feita. E que os seres humanos "racionais" façam jus a essa definição. 


2 comentários:

  1. Muito bem feito seu texto Bella... Não sou adepta dos gatinhos, mas sou totalmente a favor do bem deles...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...