quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

"Gostei, Mostrei!"

       O Gostei, mostrei de hoje vem contar a história inusitada de um caruaruense, cheio de humor e alegria que transforma  o seu dia em uma verdadeira obra de arte. Vona Vallente é artista plástico à pouco mais de um ano e está fazendo o maior sucesso com suas peças, que tem como característica  personagens importantes da hitória cultural do nosso país, seu trabalho é todo reciclável e o principal material é a madeira achada pelas ruas e entulhos.
       Vona explica: "Criar é juntar cacos do que foi quebrado, pela necessidade de recompor um vaso, restaurado, assim, a própria vida estilhaçada. Na criação contém: dor, prazer, lágrima de emoção SANGUE, símbolo de vida, morte e recomeço".
Suas peças podem ser vista no shopping Difusora até o dia 7 de fevereiro de 2013,onde ele abriu espaço para as vendas também, com preços que varia de 30,00R$ à 200,00R$.
 










 

 

                                      Como e porque criar?

Criar é se despir do consciente, perder a noção do tempo no espaço da imaginação. É mergulhar de cabeça, braços abertos no absmo infinito, um poço profundo, buscando aquela luz, para retonor à vida, equilibrando sonho e realidade. Criar é juntar cacos do que foi quebrado, pela necessidade de recompor um vaso, restaurando, assim, a própria vida estilhaçada. Na criação contém: dor, prazer, lágrimas de emoção, SANGUE, símbolo de vida, morte e recomeço. Criar é correr risco entre o belo e o ridículo, e não dá ouvidos ao fantasma do medo. É crer no anjo de proteção inspiradora. É saber esperar o momento e tirar proveito das horas cheias de criatividade, de pensamentos transcedendo, alma leve, mente oscilante, como máquina, tantas vezes descontrolada. São momentos de libertação para a alma presa em convenções. É mistério maravilhoso de contemplar e traduzir para a realidade o dislumbramento do sonho.

A necessidade de criar é minha de condição de viver, sem criar a vida se torna vazia, enfadonha, tediosa. A criação é terapia, energética e repleta de emoções. Aproxima, quebra barreiras, une pensamentos, reforça os laços do artista com seu público, interagem e formenta massas. A criação é uma grande explosão! Começa em uma introspecção, na qual pensamentos são avaliados, triturados e absorvidos pela mente faminta. Uma insatisfação generalizada, pontos reticentes, interrogações, angústia, solidão e dúvidas crués. Daí um estalo hipnótico e uma e uma leveza provindencial vão anestesiando a avidez da alma e o impossível já não aparecem mais, onde tudo é possível, onde a roda gigantesca da criação também se alimenta do nosso suor de cada dia.

Segurar uma agulha com amor faz a diferença. Compor um poema, cantar uma canção, dirigir uma palavra a alguém, apanhar um tronco, um pedaço de madeira, um garrancho no chão, isto também é um estado de espírito. Fazer arte, o que fazer com arte, como utilizar esse dom que nos é dado? Satisfazer à alma, o ego, a vaidade? o aplauso, o sucesso, a fama adulteram a alma do afrtista levanmdo a caminhos luxuosos e perogosos, a fama, o público, tudo é passageiro nesse plano terrestre. Somente o que vale à pena focar e desenvolver é a arte divinal que faça o público pensar na sua própria origem, na qual, incondicionalmente ele irá voltar ao pó e ressugir ao universo conforme for seu merecimento.
Escolher o design original da madeira foi a boa idéia, assim, não consigo me repetir nunca, em peçaalguma. cada forma já vem descrita a identidade do personagem, muitas vezes, no primeiro olhar, seu figurino e algum desejo é captado e o trabalho do artista plático é traduzir. São várias etapas para a confecção de uma peça. O momento de encontrar o material no meio ambiente, a identidade do personagem, o estudo do figurino e a execução da peça são períodos que podem demorar dias e até meses. possos dizer que minha opção em desenvolver este arte me trouxe paz.meu trabalho con tém sentimentos de compaixão pela natureza e indignação pelo descaso incosequente humano. Força, fúria, abundância, equilíbrio e revolta, tudo se transfoma pela dor, pelo amor. minha força vital está na arte, é algo maior a me mover e comover é o sucesso despido de vaidades e deslubramentos. É o dever, missão e devoção.

Vona Vallente

 
Vona Vallente,
A origem da madeira "Expressões, Histórias e Formas em Peças Únicas"
Ateliê Casa Vona Vallente
Fone: (81) 8706-0673
Rua: Aureliano de Gois, 369
Rosanópolis, Caruaru-PE
E-mail: vona.vallente@hotmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...